Tag Archive doutrinas básicas

resistir-tentação

Triunfo sobre a tentação

DOUTRINAS BÁSICASNão devemos confundir Tentação com Pecado. O primeiro; antecipa, induz, incuti buscando convencer. Já o segundo; trata do resultado, da ação, do ato já praticado.

Imagine: Você está andando pela rua e alguém esbarra em você, e te machuca, e num piscar de olhos, os pensamentos na sua cabeça respondem com raiva. Essa é a tentação. Uma pessoa do sexo oposto passa por ti, e algo dentro de você lhe diz para olhá-la da cabeça até os pés; que tentação! Você está conversando com um amigo e ele te diz algo que machuca, e imediatamente sussurra uma voz em sua mente que você deve revidar com a mesma moeda. Essa é a tentação.  Mas, se você não der ouvido à tentação, então você vencerá, não será acometido pelo erro. Não permitirá que ela se torne em pecado. Razões pela qual o Apóstolo Paulo falou para os Efésios, “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo” Capítulo 6:11.

Quando uma pessoa é salva desperta em seu interior um leão que antes se encontrava desnutrido, dando início a uma grande luta no reino espiritual.

Agora, mesmo uma pessoa salva ainda mantém a natureza pecaminosa de Adão, natureza essa, que tenta arrasta-la para o pecado o tempo todo. Porem, ela passa a possui uma nova qualidade, a vida de Deus, que odeia o pecado desejando fazer o que é certo.

As duas naturezas lutam uma contra a outra continuamente. Tal condição deve nos sugerir essa  pergunta: Qual vencerá?

De acordo com Galatas 5:16-17 a resposta fica assim: “VENCERÁ AQUELE QUE  MELHOR VOCÊ ALIMENTAR ”. Já Romanos 8:5-8 nos ensina que a velha natureza é incuravelmente má, ela não pode ser melhorada nem será removida até que o cristão vá para seu lar celestial. Deus a condenou quando Cristo morreu na cruz, e seu desejo é que os cristãos a tratem (a velha natureza) como morta. Romanos 13:14 nos desafia a não alimentarmos a velha natureza, não encoraja-la e nem mesmo dá-la uma chance.

Mas, quanto à nova natureza que existe em nós, como devemos agir? Ah! Essa é a que devemos alimentá-la, encoraja-la e amar, pois ela é quem nos inspira para fazermos o bem; a partir do momento em que o cristão resiste a tentação, dizendo não a carne ao mundo e para o diabo, que são as três fontes de tentação.

É interessante parafrasearmos um pouco mais sobre essas duas naturezas que regem o ser humano, igualizando-as a dois leões que ocupam o mesmo território, onde ambos vivem a disputarem espaço de liderança sobre seus membros. Estes dois leões nunca vão deixar de existir enquanto tivermos vida aqui na terra, mas com uma condição;  agora somos conscientes que cada um deles tem seus prazeres, gostos e manias e só poderemos alimentar um ou o outro. Somos um ser, uma vida e um corpo, assim, nossa condição é de atender as necessidades só de um. Isso é o mesmo que viver na graça; temos a bênção de Deus a nossa disposição, através de Jesus Cristo, mas os pés na terra onde reina as obras do maligno. É o que nos transcreveu o Apóstolo Paulo; “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.”  (I Coríntios 6 : 12).

Na continuação abordarei sobre as melhores maneiras práticas, as quais poderão nutrir a nova vida.

1)  Precisamos ler a bíblia o máximo possível; estuda-la, memoriza-la, pratica-la e obedecer. Passagens como as que encontramos em Salmo 119:9-11 e Col. 3:16 devem estarem gravadas em nossa mente consciente e subconsciente, assim como está o nosso próprio nome, pois elas nos ensinam que a palavra de Deus nos ajudam a evitarmos o pecado. É importantíssimo, que todos os dias, possamos separar um temo para a leitura das leis de Deus.

2)  A oração deve ser permanente e fazer parte da vida como o nosso respirar, para que nos momentos de tentação, tenhas forças para buscar socorro junto ao trono de Deus; a exemplo, Hebreus 4:16 no exorta que devemos nos aproximar com confiança. Já 1 de Coríntios 10:13, temos a promessa que o Senhor nos concederá força para vencermos. Mas, lembre-se! Se buscar lutar com suas próprias forças, certamente falhará.

3)  Escolher os companheiro a altura da sua visão e chamado. Ande com pessoas que temem ao Senhor, amam suas leis e testemunham constantemente da graça de Deus, e não com pessoas que não professam a sua fé ou não falam daquilo que ardem no seu coração. Hebreus 10:24-25 e Provérbios 1:10-16 tange sobre a importante que é, sabermos escolher com quem convivermos. Sei também, que algumas pessoas que já aceitaram a Cristo, convivem através do seu trabalho, estudos ou família com pessoas incrédulas; nesse caso, o que é de suma importância é que o cristão não se una a eles através dos comportamentos que venham desonrar ao Senhor, ver Efésios 5:10-11. Mas, aquele que está obrigado a conviver com tais pessoas, devem usar seus corpos e atitudes, como testemunho exemplar de uma vida liberta do mal, do pecado e do mundo.

4)  Apto a confessar seus erros. Livro 1 de João 1:9 nos dá a entender que; quando um cristão ver-se em pecado, deve buscar confessa-lo, imediatamente, evitando assim a tentação. Essa tentação pode ter acontecido por meio dos pensamentos, palavras e até mesmo ações pecaminosas vindo a entristecer o Espírito Santo. Razão pela qual, devemos pedir perdão, assim que percebemos alguma falha em nós. Não adie para amanhã ou para a próxima Ceia do Senhor, busque o perdão imediatamente, diante de Deus. Olha! Em Provérbios 28:13 está escrito que; os que encobrem suas transgressões nunca prosperará.

5)  Gaste tempo para conhecer a Cristo. Existe um provérbio que diz: “Mãos paradas são a oficina do diabo”. Entregue seu corpo e sua vida para que o Senhor a use conforme a sua vontade. É isso que Romanos 6:19 está nos dizendo para fazermos. Existe trabalho suficiente para ser feito, e você foi chamado para ser o melhor do Senhor. Sua nova natureza, agora, cheia de vida e da unção do Espírito Santo, arde com desejo de produzir frutos bons. Col. 3:5-9, nos mostra que devemos “matar de fome a velha natureza”.

Parece que a lista acabou, mas, de repente… Surgem novas situações que precisamos cuidar: ter cuidado com o que lemos, onde nós vamos, o que ouvimos, para que nossa nova natureza ganhe força e supere a anterior. Como foi mostrado anteriormente; não devemos alimentar nossa velha natureza, ao tempo que devemos saciar todos os desejos da nova para que vença tudo aquilo que causa pecado ou mesmo possa enfraquecer  a fé.

O segredo é: Quando você se mantém ocupado com Cristo, não poderá estar ao mesmo tempo pensando em coisas que produzem pecado. Ocupar-se com Cristo é regra fixa na vida, para que nos tornemos ao objeto da nossa adoração, e possamos nos tornar mais semelhantes ao Senhor sempre que nos observarmos no espelho da sua palavra.

É importante lembrar, que:

Ocupação com os outros produz distração.

Ocupação com Cristo gera regozijo

Fugirmos da tentação não é uma experiência única ou definitiva, mas sim, um processo contínuo de dependência em Deus, não importa o quanto avançamos em idade nem o quanto sabemos da bíblia, sempre vamos correr perigo de cairmos em tentação ou de tirarmos os olhos do senhor. AMEM!

Tags, ,